A Psicoterapia na busca de si

01 jun 2016 por Letícia Lima

DivãÉ comum haver resistência e aborrecimento quando alguém sugere a outrem a necessidade de fazer terapia. Tome-se a principio tal reação oriunda do desconhecimento dessa atividade profissional que trata das dificuldades existenciais e psicopatológicas dos sujeitos. Exatamente como a medicina trata das doenças, a engenharia das edificações e afins.

Para tanto, cabe informar que essa necessidade em fazer terapia é para todos, uma grande oportunidade de buscar a si, se conhecer, para dissolver os conflitos existenciais que são formados a partir da interação com o meio desde a gestação, ou ainda de épocas mais remotas. É primitiva e errônea a ideia de associar a necessidade de terapia à loucura, ou mesmo, em necessidade de indivíduos fracos, já que, “forte” é aquele que tem a coragem de ir buscar a si próprio na terapia, com seus comportamentos desajustados, corriqueiramente atribuídos aos outros.

Durante o processo de análise o indivíduo vivencia vários momentos correlacionados as situações que estão sendo tratadas: A Negação, com sua fase de revolta e resistências, a Negociação, quando o individuo se abre a mudança de comportamento, a partir da compreensão e mudança de pensamento acerca de seus conflitos, que em determinadas situações podem deprimi-lo. Mas é no processo de aceitação de si que há o renascimento de sua personalidade forte e bem edificada, agora, em bases reais.

Assim, a Psicoterapia é um lindo processo de resgate de si que necessita de dedicação, vontade de mudança, para viver de forma Equilibrada e Saudável com melhor interação no meio em geral.

Últimas publicações no blogVer todos